Revista Brasileira de

Terapias e Saúde



Tamires Batista da Silva, Thiago Domingues Stocco. Eletroanalgesia Não-Invasiva no Tratamento da Dor Oncológica: Revisão da Literatura. Revista Brasileira de Terapias e Saúde, v. 10, n. 1, p. 1-7, 2019.

DOI icon 10.7436/rbts-2019.10.01.01 PDF



Resumo: Contextualização: O controle da dor oncológica é um tema que tem despertado interesse e questionamentos aos profissionais da saúde que lidam diretamente com os pacientes. Buscando uma alternativa não medicamentosa, faz-se necessário a utilização de ferramentas para analgesia nos pacientes oncológicos, tais como a eletroanalgesia não-invasiva, recurso que utiliza a ação terapêutica de correntes elétricas aplicadas ao corpo a fim de controlar a dor. Objetivo: Analisar as evidências da utilização de recursos de eletroanalgesia não-invasiva em pacientes com dor oncológica. Métodos: Utilizou-se artigos científicos indexados nas bases de dados LILACS, MEDLINE e SCIELO, publicados entre 2007 a 2018, sem restrição de idiomas. Para a pesquisa foram utilizados uma combinação dos descritores: Fisioterapia; Oncologia; Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea; Dor e seus correspondentes em inglês. Foram desconsiderados trabalhos que relatavam eletroanalgesia invasiva e analgesia medicamentosa como única opção. Resultados: Todos os estudos optaram exclusivamente pela Estimulação Nervosa Elétrica Transcutânea (TENS) como único recurso de eletroanalgesia. Os trabalhos obtiveram resultados positivos, ainda que os diagnósticos clínicos e estágios do tratamento fossem diferentes. É notório que o tema precisa ser mais explorado, uma vez que outros métodos de eletroanalgesia não foram investigados. A eletroanalgesia não-invasiva não auxilia somente na redução de custos com opções medicamentosas, mas principalmente diminui efeitos colaterais e reações adversas. Conclusão: Embora a eletroanalgesia não-invasiva mostra-se eficaz, os estudos sobre o tema são escassos. Visto a relevância do assunto, sugere-se que mais estudos sejam realizados para ampliar o conhecimento na área, tendo como base a qualidade de vida do paciente oncológico.

Palavras-chave: Fisioterapia, Oncologia, Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea, Dor.

Abstract: Background: The control of cancer pain is an issue that has aroused interest and questions to health professionals who deal directly with patients. Looking for a non-drug alternative, it is necessary to use tools for analgesia in cancer patients, such as non-invasive electroanalgesia, a resource that uses the therapeutic action of electric currents applied to the body in order to control pain. Objective: To analyze the evidence of the use of non-invasive electroanalgesia resources in patients with cancer pain. Methods: Scientific articles indexed in the LILACS, MEDLINE and SCIELO databases, published between 2007 and 2018, without language restriction, were used. A combination of the following descriptors was used: Physiotherapy; Oncology; Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation; Pain and its correspondents in English. We excluded studies that reported invasive electroanalgesia and analgesia as the only option. Results: All studies opted exclusively for Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation (TENS) as the only electroanalgesia resource. The studies obtained positive results, although the clinical diagnoses and stages of the treatment were different. It is noteworthy that the topic needs to be explored further, since other methods of electroanalgesia have not been investigated. Noninvasive electroanalgesia does not only help reduce costs with drug options, but mainly decreases side effects and adverse reactions. Conclusion: Although noninvasive electroanalgesia proves to be effective, studies on the subject are scarce. Considering the relevance of the subject, it is suggested that further studies be carried out to increase knowledge in the area, based on the quality of life of cancer patients.

Keywords: Physiotherapy, Oncology, Transcutaneous Electric Nerve Stimulation, Pain.


Omnipax Editora
omnilogo