Revista Brasileira de

Terapias e Saúde



Alexsandra Tomé, Sandra Silvério-Lopes. Comércio de Alimentos de Apresentação Não Convencional, Drogas Vegetais e Fitoterápicos: Oferta em Drogarias de Araucária, PR. Revista Brasileira de Terapias e Saúde, v. 4, n. 2, p. 7-14, 2014.

DOI icon 10.7436/rbts-2014.04.02.02 PDF



Resumo: Contextualização: Recentemente como consequência da maior preocupação com a saúde tem sido observado o aumento de produtos com alegações de saúde e bem-estar, dentre eles os alimentos funcionais, novos alimentos e medicamentos fitoterápicos. Objetivo: Avaliar aspectos relativos à oferta, dispensação e a adoção da atenção farmacêutica em relação aos alimentos funcionais, novos alimentos e fitoterápicos, nas farmácias e drogarias do município de Araucária, PR. Métodos: Pesquisa exploratória com aplicação de questionário de autopreenchimento aos farmacêuticos. Contatou-se 32 profissionais, sendo um para cada estabelecimento farmacêutico, e obteve-se 16 questionários retornados. Resultados: 56% dos farmacêuticos responderam que seus clientes frequentemente solicitam fitoterápicos como recursos terapêuticos, 44% informaram que seus clientes nunca solicitam alimentos em formas farmacêuticas, 69% declararam que seus clientes às vezes solicitam orientação quando adquirem fitoterápicos, 50% responderam que as solicitações de plantas medicinais não estão acompanhadas por prescrição de médicos ou dentistas, 69% consideram os fitoterápicos uma alternativa terapêutica e 31% costumam indicar esses produtos. Os fitoterápicos mais solicitados são: castanha da índia, gingko biloba, passiflora, valeriana e guaco. Os farmacêuticos utilizam a internet (68,8%) e livros (56,3%) para elucidação de dúvidas. Conclusão: Na maioria das farmácias e drogarias de Araucária pesquisadas, existe procura por fitoterápicos, mas o acompanhamento de prescrição de profissional de saúde é eventual e a solicitação de orientação farmacêutica não é frequente. Por outro lado, com relação aos alimentos em formas farmacêuticas foi constatada baixa solicitação pelo cliente.

Palavras-chave: Medicamentos fitoterápicos, Alimento funcional, Atenção farmacêutica.

Abstract: Background: Recently, as a result of people’s increasing concern about health, there has been a growth in products that claim to offer health and well-being. Some of these products are functional foods, new foods and herbal medicines. Objective: To analyze aspects concerning supply and pharmaceutical care regarding to functional foods, new foods and herbal medicines, in pharmacies located in the city of Araucária, PR. Methods: Exploratory research with self-administered questionnaire to pharmacists. 32 professionals have been contacted, one in each pharmacy, and 16 questionnaires were returned. Results: 56% of the interviewed pharmacists answered that their clients frequently ask for herbal medicines to use them as therapeutic resources. 44% of them informed that their clients never ask for foods in pharmaceutical forms. 69% declared that their clients sometimes ask for assistance when buying herbal medicines. 50% replied that requests for medicinal plants are not followed by a doctor or dentist’s prescription. 69% consider that phytotherapeutic agents are a therapeutic alternative. 31% usually suggest this kind of product. The most requested herbal medicines are: horse chestnut (Aesculus hippocastanum L.), gingko biloba (Ginkgo biloba L.), passionflower (Passiflora incarnata L.), valerian (Valeriana officinalis L.) and guaco (Mikania glomerata Sprengl.). Pharmacists use the internet (68,8%) and books (56,3%) for clearing their doubts. Conclusion: In most of the pharmacies searched, there is demand for herbal medicine, but the prescription from a health professional is a rare event, and the for pharmaceutical care is also infrequent. On the other hand, this research has concluded that there is not much demand for foods in pharmaceutical forms.

Keywords: Phytotherapeutic drugs, Functional foor, Pharmaceutical care.


Omnipax Editora
omnilogo