Revista Brasileira de

Terapias e Saúde



Gabriela Lafemina Gil Muner, Patricia Coymbra do Amaral Ishikawa, Gisele Lemos Morais, Franciele Aparecida Novak, Patrícia de Freitas Patroni, Luana Carolina de Conto, Eduardo Del Bosco Brunetti Cunha, José Lourenço Kutzke. Análise Comparativa de Profundidade e Ângulo de Amarração dos Tênis de Corrida. Revista Brasileira de Terapias e Saúde, v. 9, n. 2, p. 9-13, 2019.

DOI icon 10.7436/rbts-2019.09.02.02 PDF



Resumo: Contextualização: A prática da corrida vem aumentando cerca de 25% ao ano no Brasil, porém, esse aumento expressivo contribui de forma proporcional às lesões no complexo de tornozelo e pé. A maioria dos incidentes ocorrem devido à sobrecarga de treinamento, bem como o uso de calçados inapropriados. Objetivo: Comparar os modelos de tênis destinados para a prática de corrida e identificar o que apresenta uma maior profundidade e ângulo de amarração. Métodos: O estudo foi realizado de forma descritiva observacional comparativa, constituído por 34 modelos de tênis de 10 marcas distintas. Os critérios de inclusão abordados foram: Tênis utilizados por corredores de rua, modelos femininos, numeração 37, comercializados em Curitiba-PR, com diferenciação de valores iguais ou superiores a R$ 49,90. Já os critérios de exclusão incluíam os tênis minimalistas, palmilhas não removíveis e de custo superior ao valor do salário mínimo brasileiro referente ao ano de 2016. As medidas foram coletadas através de uma câmera fotográfica, paquímetro digital e o aplicativo Meazure. Resultados: Os tênis que apresentaram maior medida interna da região maleolar (M.I.R.M), medida interna do tendão de Aquiles (M.I.T.A) e maior ângulo de amarração foram, respectivamente, os tênis X-scream 3D (Salomon), Lunar Skielux (Nike) e o Vazee Pace (New Balance). Conclusão: Os parâmetros de profundidade e ângulo de amarração, aqui estudados, podem auxiliar a prescrição fisioterapêutica de calçados de corrida visando minimizar o número de lesões.

Palavras-chave: Corrida, Tênis, Ângulo de Amarração, Medida.

Abstract: Background: The practice of running is increasing around 25% per year in Brazil, However, this significant increase contributes proportionally to the injuries in the ankle and foot complex. Most incidents occur due to training overload of as well as the use of inappropriate footwear. Objective: To compare the models of tennis intended for the practice of running and to identify the one that presents a greater depth and angle of mooring. Methods: The study was conducted in a descriptive, comparative observational way, consisting of 34 tennis models from 10 different brands. The inclusion criteria were: Tennis used by street runners, female models, numbering 37, marketed in Curitiba-PR, with a difference of values equal to or greater than R$ 49.90. The exclusion criteria included minimalist shoes, non-removable insoles and costing more than the Brazilian minimum wage for the year 2016. Measurements were collected through a photographic camera, digital caliper and the Meazure application. Results: The tennis that presented the largest internal measurement of the malleolar region (MIRM), largest internal measurement of the Achilles tendon (MITA) and largest mooring angle were, respectively, the X-scream 3D (Salomon), Lunar Skielux (Nike) and Vazee Pace (New Balance). Conclusion: The parameters depth and angle of mooring studied in this paper, can offer a guide for running tennis physical therapy prescription aiming reductions of injuries.

Keywords: Running, Tennis, Mooring angle, Measure.


Omnipax Editora
omnilogo